A queixa-crime apresentada pelo ex-Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Desportiva de Machico e ex-Candidato aos órgãos sociais da Associação, José Jaime Franco de Gouveia, contra todos os elementos da anterior Direção da Associação Desportiva de Machico, por alegada falsificação de documentos relativamente à listagem de sócios nas últimas eleições para a direção do clube, foi arquivada, “por não estar verificado o crime de falsificação de documentos”, segundo o despacho proferido pelo Ministério Público-Procuradoria da Republica da Comarca da Madeira, Departamento de Investigação e Ação Penal-Secção de Santa Cruz no passado dia 05 de novembro de 2019. 

Foi assim dada razão à anterior Direção da Associação Desportiva de Machico, liderada pelo atual Presidente, Raúl Miranda, de que o procedimento adotado estava de acordo com a legalidade e em conformidade com os estatutos próprios da Associação, reforçando assim a legalidade do exercício de funções da direção eleita no sufrágio de 22 de junho de 2018, a qual se pauta por valores éticos e morais, colocando sempre como ponto de honra a responsabilidade social do clube.