História

49 Anos ao Serviço do Desporto

O desporto na cidade de Machico inicia-se no ano de 1764, altura em que Tristão Vaz Teixeira capitaneava a ilha, surgindo as danças e Pélas na procissão do Corpo de Deus, os torneios de cavalo, a caça, os jogos de cana e escaramuças e ainda o crocket.

No início do século XX (1915-20), começou-se a incorporar um espírito clubístico em que a causa comum era “o jogo da bola”. O primeiro clube de futebol em Machico foi o Lusitânia Foot Ball Clube, fundado em 1922 e presidido por Tarquino de Ornelas. Este clube contribuiu para o surgimento de novos clubes, mantendo-se no ativo até ser esbatido pelo Belenenses e pelo Sporting. Surgiu também o Machico Foot Ball Clube, mas este clube só sobreviveu durante três a quatro anos, enquanto o Lusitânia se aguentaria até 1945-46.

Após a 2ª Guerra Mundial, o desporto, mais concretamente o futebol, conheceu um novo rumo, onde nasceria duas coletividades que optaram por um modelo nacional que foi o Sporting e o Belenenses. A apresentação oficial destes dois clubes na cidade de Machico ocorreu no mesmo dia, a 19 de março de 1948.

Grupo de futebol “Os Belenenses” de Machico pertencia a pessoas ligadas ao comércio local e profissões artesanais e em 1953 já tinha 200 sócios. Desde a sua fundação até 1958 este clube foi presidido por Hugo Teixeira de Aguiar.

O Sporting Clube de Machico foi presidido por João Cabral e por pessoas que estavam ligadas aos serviços públicos, como câmara, fiscalização e fazenda pública, os quais eram conhecidos por serem os “mais finos” na época. Em 1950, um sargento tenta organizar um jogo entre o Sporting e o Belenenses de Machico, mas tal não aconteceu devido à falta de entendimento entre os mesmos. Em 1959, o clube altera para um novo emblema desportivo. Este clube implementou o futebol de formação em 1966/67, surgindo os juniores e posteriormente os juvenis.

A partir dos anos 60 as rivalidades agudizam-se com os dois clubes em disputa permanente no Campeonato de Promoção e mais tarde na 2ª Divisão. Dada a conjuntura desportiva existente e agora com o Santacruzense também federado, pois este foi o 3º clube a fazê-lo obtendo bons resultados, era necessário rever a situação de Machico. Urgia reunir um clube único, que reconquistasse a hegemonia no futebol Regional com a dignidade que Machico merecia, dado a sua longa tradição, valores e vivências futebolísticas.

O dia 14 de abril de 1969 é uma data histórica para o desporto machiquense porque o Sporting e o Belenenses acabaram por realizar a fusão. Não foi um processo fácil, devido a que alguns dirigentes não concordavam com fusão, mas acabou por acontecer. Surgiram três propostas para a designação do nome do novo clube de Machico: Associação Desportiva Machiquense, Club Desportivo de Machico e Associação Desportiva de Machico, acabando por vingar a Associação Desportiva de Machico (A. D. Machico). O primeiro presidente da Associação Desportiva de Machico foi António Vieira que estrategicamente não era de Machico, mas ligado com interesses económicos. Na altura a A. D. Machico tinha 500 associados e possuía equipas de infantis, iniciados, juvenis e juniores. Deu-se a construção de um pavilhão Gimnodesportivo para as modalidades amadoras que foram surgindo, como, o voleibol (1976), o Andebol (1978), o Ténis de Mesa e Patinagem (1981), a Vela (1989) e o Basquetebol (1989).

 Em 1985 a A. D. Machico foi considerada pelo Governo Regional Instituição de Utilidade Pública. As principais preocupações do clube nesta fase foram a reconstrução da sede (1989) e lançamento da equipa na 3ª divisão nacional, objetivos esses que viriam a ser alcançados.

Com a construção do Pavilhão e com o incremento do voleibol, a A. D. Machico durante os anos 90 do século XX passou a dominar a modalidade a nível regional e a nível nacional, sobretudo na formação, tendo a equipa sénior atingido a principal divisão da modalidade a nível nacional, a Divisão A1.

A construção do Estádio em 1996 foi também um marco fundamental no crescimento da coletividade, deixando o velhinho Tristão Vaz que tantas glórias deu aos sócios e adeptos. Assim o clube presentemente apresenta instalações próprias como o Estádio de Machico, campo de relva natural, sendo complementado pelo Campo Municipal Tristão Vaz, relva sintética.

Atualmente, o nome do clube continua a ser o mesmo, presidido por Raúl Miranda, apresentando 5 modalidades desportivas, futebol, voleibol, karaté, natação e Boccia, num total superior a meio milhar de atletas federados. O futebol continua a ser a modalidade com maior relevância no clube, com os seus escalões de formação a partir dos 5 anos e até aos 18 anos de idade, onde abrange jogadores que não têm qualquer competição até aos juniores, e ainda apresenta uma equipa sénior que disputa a principal divisão do campeonato Regional, estando o voleibol a reconquistar o seu lugar após a conquista do Campeonato Regional de Minis 2019.

A A. D. Machico, por forma a integrar todos os jovens com idades compreendidas entre os 5 e 12 anos, criou um projeto em 2006 que foi “A Escolinha de Futebol meuXico”. O projeto visa proporcionar a todos os jovens atletas um desenvolvimento desportivo e social através da rentabilização e aperfeiçoamento de todas as suas capacidades físicas, tático-técnicas e psicológicas. O seu conceito, transpõe a barreira meramente futebolística, procurando incutir e fomentar nos praticantes, um conjunto de atitudes e valores que possibilite aos mesmos serem, não apenas atletas, mas também os Homens do futuro.

Assim a Associação Desportiva de Machico com meio século de vida apresenta-se como a maior instituição desportiva do Concelho de Machico e uma das maiores a nível regional, com uma forte implementação junto da sua população e com uma dinâmica própria e atualizada aos tempos de hoje, proporcionando a prática desportiva a toda a população e potenciando o nome do Concelho com as vitórias que vai conquistando.